Exibir tudo

Gospel e secular no jornalismo : a antropofagia da popstora Baby do Brasil

Isabella Reis Pichiguelli Scaranello

Resumo

Este trabalho tem como tema a antropofagia promovida pela cantora Baby do Brasil ao mesclar características de duas culturas distintas – gospel e secular (não cristã) – e suas repercussões no jornalismo, em imprensas de ambos os segmentos. O objetivo geral é apreender de que maneira os veículos de comunicação jornalísticos percebem o trânsito entre cultura gospel e cultura secular, em particular em matérias sobre Baby do Brasil, a fim de, quanto a construções simbólicas predominantes na sociedade brasileira, investigar possíveis pistas nas narrativas jornalísticas, compreendidas como mediações dos fenômenos sociais. Metodologicamente, inicia-se pela análise das narrativas tecidas por Baby do Brasil nas mídias e em conjunto com as próprias mídias, desdobrando seus aspectos culturais e comunicacionais, e chega-se à análise de conteúdo das narrativas veiculadas sobre a artista nas imprensas gospel e secular. Para tanto, tem como principais referências teóricas Iuri Lotman, Mikhail Bakhtin, Oswald de Andrade, Míriam Cristina Carlos Silva, Magali Cunha, Jorge Miklos, Muniz Sodré e Laurence Bardin. Aponta-se, finalmente, para a predominância, nas representações jornalísticas, da oposição entre gospel e secular, como indício de um pensamento hegemônico no Brasil.

Leia a dissertação <<<Gospel e secular no jornalismo : a antropofagia da popstora Baby do Brasil>>> de Isabella Reis Pichiguelli Scaranello ou acesse no repositório institucional da Uniso.

Confira outros textos de <<<Isabella Reis Pichiguelli Scaranello>>> publicados no Mídia, Religião e Sociedade.

mm
Mídia, Religião e Sociedade
O "Mídia, Religião e Sociedade" se dedica à promoção de conteúdo acadêmico sobre o tema Mídia e Religião. Conheça pesquisadores da área, acesse entrevistas, artigos, livros e teses no site.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *