Exibir tudo
Jacques Alkalai Wainberg

Sinopse

O livro tem como objetivo analisar o que tem ocorrido a milhares de jovens em boa parte do mundo, desde as décadas de 1960 e 70, e que volta a ocorrer no século XXI, nas ações de grupos salafistas que atacam e matam pela ressurreição do califado. Esses militantes islâmicos costumam afirmar que os “os muçulmanos são os únicos que lutam [agora] contra o sistema”. No Ocidente, já não existem Panteras Vermelhas, nem guerrilhas, nem insurreições populares animadas pela utopia comunista. Dessa tradição rebelde restou certamente agora o combate internacional à globalização. Mas a guerra assimétrica animada pelas ideias redencionistas do fundamentalismo islâmico é a que assumiu a herança da violência armada dos grupos que nos anos 1960 lutavam não em nome de Alá, ou da umma (a comunidade islâmica mundial), mas do proletariado. Essa incongruência entre o sonhado e o existente tem atraído muitos conversos ao salafismo. O fato tem sido explicado com argumentos que incluem a alienação, a marginalidade social e um desconforto insuportável que esses jovens sentem vivendo numa sociedade cuja máxima é o laissez-faire. Corre o argumento de que os grupos salafistas oferecem a eles uma sensação neotribal de pertencimento, de identidade e de disciplina rígida, que lhes serve de antídoto à vitimização.

Detalhes Técnicos

Autor: Jacques A. Wainberg

Catálogo: Comunicação

Assunto: Mártires

Coleção: Comunicação

Acabamento: Brochura

Idioma: Português

Edição: 1ª

Número de Páginas: 392

Editora: PAULUS Editora

Peso (em gramas): 419g

Ano Lançamento: 2015

Dimensões (cm): 13.5 (larg) x 21 (alt)

Código de Barras: 9788534941952

ISBN: 9788534941952

mm
Mídia, Religião e Sociedade
O "Mídia, Religião e Sociedade" se dedica à promoção de conteúdo acadêmico sobre o tema Mídia e Religião. Conheça pesquisadores da área, acesse entrevistas, artigos, livros e teses no site.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *